Um pouco da nossa história

Os primeiros movimentos que deram início à Comunidade Santos Anjos, registram uma aproximação do casal fundador Paulo e Lívia com alguns casais do ECC e ainda outras pessoas, para a participação em um pequeno Grupo Carismático de Oração que se reunia nas tardes de sábado na Capela de Nossa Senhora da Conceição, na Fonte. Essas pessoas eram na verdade fiéis da Igreja com efetiva caminhada em pastorais de diversas Paróquias e coordenações na Arquidiocese de Niterói, que atraídas por Deus foram se juntando nesse Grupo, que no decorrer dos primeiros tempos, contava já com muita gente vinda das mais diversas regiões de Niterói.

Assumindo a coordenação desse Grupo, participando das Equipes de Serviço e frequentando as reuniões na Paróquia e na Arquidiocese, realizamos muitas campanhas de evangelização a pedido de muitas paróquias e mesmo de várias dioceses. E já nessa altura éramos conhecidos como os “anjos” que chegavam para comunicar as maravilhas de Deus. Desse jeito, essa realidade vivida e partilhada em nossas orações nos levou a refletir e nos fez deparar com um chamado especial de Deus que ardia nosso coração e nos convocava para a entrega de uma vida fraterna e apostólica mais intensa. Um chamado exigente: um convite para iniciarmos uma Comunidade de Aliança.

A partir então da experiência inicial do batismo no Espírito Santo e mesmo sem sabermos muito o significado de tudo o que o Senhor nos apresentava, passamos por dois anos de discernimento e formação específica, até que decidimos iniciar efetivamente esse entrelaçamento comunitário.

Desse modo, impulsionados pelo mandato de evangelizar e estando ainda profundamente sensíveis à realidade dos mais necessitados, a Comunidade Católica Santos Anjos foi fundada no bairro de Itaipu, na região oceânica de Niterói-RJ, no dia 17 de julho de 1993. E isso ocorreu durante a Celebração Eucarística na Capela da Igreja Franciscana da Porciúncula de Santana, em Niterói, ocasião em que 40 pessoas se consagraram a Deus como missionários, selando o compromisso como Comunidade de Aliança, na observância dos nossos primeiros Princípios de Vida.

E para não fugir da verdadeira caminhada daqueles que desejam seguir mais de perto o Cristo e lançar-se na missão de anunciá-lo como Senhor e Salvador de nossas vidas, as perseguições aumentaram a ponto de vermos a metade dos irmãos, amedrontados pelas calúnias que eram lançadas sobre nós, abandonarem a Comunidade que acabava de nascer. Mas segundo um Sacerdote que nos consolou nesse tempo, “essas foram excelentes perdas”, necessárias para o desabrochar da Comunidade.

Já com firmeza no exercício dos primeiros passos e com a abertura da primeira Casa Missionária, em maio de 1996, a Comunidade foi acolhida oficialmente pela Igreja, através da aprovação de seus primeiros Estatutos pelo então Arcebispo de Niterói, Dom Carlos Alberto Navarro.
Vivendo nossa espiritualidade e partilhando sempre o novo que o Espírito comunica através do nosso carisma, cuja essência compartilha o acolhimento restaurador como fundamento do anúncio de Jesus Cristo, a Comunidade Santos Anjos foi descobrindo seus caminhos de formação e de acompanhamento vocacional, delineando melhor a organização de seu apostolado e aprimorando suas estruturas de administração, coordenação e de governo, através de documentos e de procedimentos que vieram dar forma e conteúdo à sua Regra e Constituições.

Em meio às alegrias, decepções e incompreensões, o Senhor, como que para selar a sua vontade, “ajuntava a cada tempo outros que estavam a caminho da Salvação” (Cf. At 2,47). Confiando na providência, continuamos vivendo fervorosamente a moção que o Senhor nos havia dado, o que nos permitiu alargar nossas “tendas” com a abertura de outras duas Casas: em Icaraí (Niterói) e em São Gonçalo, dinamizando ainda mais o nosso apostolado.

E em 10 de julho de 2008, precisamente quando completávamos quinze anos de fundação, recebemos a Aprovação Canônica, tendo sido a Comunidade Católica Santos Anjos reconhecida como Associação Privada de Fiéis de Direito Diocesano e aprovado seus Estatutos, Regra e Constituições através de Decreto do então Arcebispo de Niterói, Dom Frei Alano Maria Pena, OP.

Como graça especial do nosso carisma, a Comunidade Santos Anjos andou por terras distantes, realizando durante alguns anos uma missão na cidade de Calgary no Canadá, onde pudemos levar àquela Diocese campanhas de evangelização através de palestras e reflexões em Grupos Carismáticos de Oração. E em 2009, com a presença do nosso Fundador naquela localidade, inclusive no encontro com o Bispo Diocesano de Calgary, pudemos testemunhar a força espiritual do Anúncio do “acolhimento restaurador” do nosso carisma. Andamos também em Portugal, na Diocese de Santarém, auxiliando durante um ano o apostolado e a catequese de Paróquias do interior da região de Pedrógrão e Assentis.

Em virtude do Jubileu de Prata, dos 25 Anos de Fundação dedicados à Igreja, no desenvolvimento dos serviços de Evangelização, da Formação Cristã e da Promoção Humana, o PAPA FRANCISCO, atendendo ao pedido do nosso Fundador, encaminhado pelo Arcebispo de Niterói, Dom José Francisco Rezende Dias, nos concedeu um ANO SANTO com Indulgência Plenária, a fim de podermos celebrar com grande júbilo a graça especial desse Jubileu. Sim, verdadeiramente um ANO SANTO para a Comunidade SANTOS ANJOS! E isso é, sem dúvida, pra todos nós membros da Comunidade, parentes, amigos, voluntários, benfeitores, e por que não dizer, para a nossa Arquidiocese, e ainda para a realidade das Novas Comunidades do Brasil, uma esplendorosa manifestação da Misericórdia de Deus que vem ao nosso encontro através da Igreja. Para acolher, para celebrar e ainda para auferir o selo que pelo seu Magistério faz ligar no céu as nossas realidades daqui da terra.

E como que para enriquecer ainda mais e coroar esse tempo de celebrações do nosso “Jubileu de 25 Anos” a Comunidade Santos Anjos foi recebida em Roma pelo Papa Francisco em duas ocasiões: na Praça de São Pedro, na Audiência da quarta-feira, dia 26 de setembro, e no dia 02 de outubro, na Eucaristia presidida pelo Santo Padre na Capela Santa Marta, na celebração votiva dos Santos Anjos da Guarda. Inesquecível! Como essência do nosso chamado, projetamos e nos esforçamos viver a fraternidade cristã em comunidade, na busca constante do aperfeiçoamento da vida de oração, no estudo e na prática da Palavra de Deus, na assiduidade aos sacramentos e no pronto desprendimento para a missão, tendo a Eucaristia celebrada em comunidade como ápice de nossa vida e alimento espiritual que nos fortalece e nos santifica. Na dinâmica em que Espírito Santo realiza todas as coisas, num constante atualizar do projeto de Deus no coração da Comunidade, não cabe dizer a última palavra sobre nossa história. Rogamos apenas que nos seja concedido a graça de vivermos o presente, sem perdermos o compasso das experiências já refletidas, abastecendo nossa partilha das riquezas do passado, ao mesmo tempo em que dirigimos nosso olhar de esperança e nossas orações para o futuro que nos é reservado por Deus, para vivermos com a fidelidade requerida o Dom “COMUNIDADE SANTOS ANJOS’. “Por tudo isso importa o sério compromisso de todos nós de nada ocultarmos do que ouvimos, aprendemos e vivemos, narrando à geração futura os louvores do Senhor, seu poder e suas obras gloriosas” (Cf. Sl 77, 3-4).
Compartilhar:
X